Carregando...
Educação

Elogie alguém hoje

Uma vez por bimestre (o que é muito pouco!), eu chamo cada aluno pra sentar pertinho de mim lá na frente, na minha mesa. Posiciono uma cadeira perto da minha e bato papo com cada um individualmente. Hoje foi um dia desses.
– Nossa! Você anda faltando muito, né? O que tá havendo?
– Eu não consigo acordar, professora.
– É, eu sei, é muito difícil mesmo. Vamos programar seu celular pra despertar? Você acha que consegue assim?
– Acho que sim.
– Então, tá.
– Mesmo faltando à beça, você fez coisas incríveis… Olha esse trabalho seu! Lindo, organizado, bem escrito. Parabéns!

 

E sai a menina achando que fosse tomar uma bronca com um sorriso no rosto.
:::::
– E aí, moço? Posso ver seu caderno? Uau! Que desenhos incríveis! Você que faz?
– É, professora. Pensei que você fosse brigar comigo porque desenhei na sua matéria.
– Meu amor, eu vou brigar com você o dia que você parar de fazer esses desenhos bonitos.

 

E sai o menino achando que fosse tomar uma bronca com sorriso no rosto.
:::::
– Professora, dá visto no meu caderno?
– Por quê?
– Ah, eu gosto de mostrar ao meu pai meu caderno com visto.

 

Dei visto em cada exercício e escrevi um elogio diferente em cada um.
E sai mais uma menina com um sorriso no rosto.
:::::
– Xi, não corrigi essa redação sua. Dá aqui, por favor.
Em vez de apontar os erros na redação, circulei as palavras mais elaboradas e puxei setinhas escrevendo perto de cada uma: que palavra chique! essa palavra aqui é poderosa! amei essa expressão neste contexto!
E saiu mais uma menina com sorriso no rosto.
(Claro que anotei os erros numa folha minha pra comentar com a turma em outra aula de forma genérica.)
:::::
Quantas vezes você elogia seus filhos? Quantas vezes você, professor, já chamou um pai ou uma mãe na escola pra elogiar os filhos deles? Quantas vezes você elogiou um adolescente esses dias? Quantas vezes você já disse a uma criança o quanto ela é especial?
A gente foca no erro, no chamar a atenção, no dar bronca, no corrigir e esquece que as pessoas também têm o lado bom, que precisa ser elogiado!
Pra criar crianças e adolescentes com autoestima lá em cima, a gente precisa fazer por onde. A indústria tá aí trabalhando na insegurança deles (você precisa dessa sandália pra ficar linda, você precisa desse carro pra ser especial, você precisa dessa maquiagem pra ficar melhor). Se a gente não tomar as rédeas, vem aí mais uma geração de pessoas com baixa autoestima, inseguras e infelizes.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

Favoritos da Dany
%d blogueiros gostam disto: