Carregando...
Blog

Chupeta é prejudicial e ponto final.

Caio chupou chupeta por 2 anos mais ou menos. Quando eu resolvi tirar, foi doído. Ele passou umas três noites chorando e dormia fazendo aquele biquinho como se estivesse chupando a chupeta. Que dó! Precisei de muita força e sangue frio pra não sair correndo e devolver a chupeta ao pequeno. Caio tem respiração bucal e talvez precise usar aparelho. Respiração bucal e aparelho não são comprovadamente, no caso do meu filho, consequências da chupeta, mas é bem provável que sejam. 
Artur não chupava chupeta. Levou 2 meses sem. Nos momentos mais punk, tentei dar, mas ele recusava. Até aí, ótimo. Sabe quando você dá a chupeta (porque tá esgotada), mas sabe que não é o certo? Era assim. Dar a chupeta e, no fundo, gostar quando o bebê não pega. Muito louco isso. 
Quando Artur era bebezico, vivia plugado no peito e sua necessidade de sucção era atendida através do mamá. Acontece que o tempo foi passando. Ele foi crescendo e engordando muito. Não se satisfazia mais só no peito. Eu tentava de tudo: mamá, colo, andar balançando o bebê… Nada adiantava. Um bebê chorando, uma mãe enfiando o peito na boca de um bebê que o recusava e uma hérnia de disco que gritava. Uma combinação nada perfeita que me fez dar a chupeta. Na verdade, foi meu marido quem deu, mas eu aceitei e não tive forças pra não dar. 
Quando você opta por não dar chupeta, você precisa de uma rede de ajuda, pelo menos era o que eu sentia aqui. Revezamento de colo era necessário, mas eu não tinha essa ajuda. Meu marido é daqueles “nada de colo! enfia a chupeta”. Remar sozinha contra a maré tendo como companheiro o cansaço de nunca mais ter dormido, uma dor absurda na coluna e um bebê cada vez mais pesado foi a martelada final: sucumbi à chupeta. 
Não há argumentos: chupeta é um artifício ruim. É um pedaço de plástico frio que substitui peito e colo. Causa problemas na respiração, mastigação e tantos outros que você pode ler AQUI. É uma alternativa à falta de paciência dos pais. É feio. É nojento. E o pior, pra mim, influencia negativamente na amamentação porque o tipo de pega é diferente e pode causar confusão de bicos, o que pode levar ao desmame precoce. 
Há alternativas boas que facilitam o não uso da chupeta: peito, peito, peito, sling, andar numa marcha forte, passear com o bebê pra distrair, mostrar brinquedinhos, dar muito colo, revezar colo, deixar o bebê chupar o próprio dedo e por aí vai. Mas, como a vida dá umas rasteiras na gente, eu não consegui com nada disso. Tentei de tudo. E, sim, me arrependo e não tô nada feliz com a minha escolha. 
Tento restringir o uso. Não dou a chupeta de imediato. Quando a coisa esquenta, tento chamar atenção pros brinquedos, ofereço o peito, dou colo, tento todas as possibilidades, mas ele rejeita o peito e se irrita com tudo. Quando eu dou a chupeta – ploft! – dorme na hora! Como pode?!? Não comprei aquele prendedor de chupeta pro menino não ficar com a “bendita” pendurada o dia todo e não deixo a chupeta por perto pra evitá-la. Enfim, não é porque eu adotei a chupeta que vou ficar fazendo campanha a favor.

Post no estilo “faça o que digo, não faça o que eu faço”. :-/

Fuén.

        

Comentários

comments

11 comments
  1. Cantinho da Fabi

    ,Manuzinha não pegou a chupeta , ofereci em poucos momentos também, só quando estava me sentindo esgotada também, bom ler o seu post e perceber que sou normal … acho melhor ele chupar a chupeta do que o dedo Danny , a chupeta é mais fácil de tirar … Beijos

  2. Anônimo

    Tudo aquilo que você planeja sai diferente do que você planejou. Isso se chama vida. E ela é feia, boba e tem cara de melão.Pare de sentir culpa por coisas que estão fora do seu alcance.

  3. Isabela Kanupp

    Sabe que uma das únicas coisas que me faz sentir a pior mãe do mundo, é que eu insisti muito muito muito mesmo para a Beatriz chupar chupeta. Porque sei lá, na época eu não tinha informação e achava natural a criança chupar chupeta. E ela pegou a chupeta e ficou assim, até os 7 meses quando perdeu o interesse. Tive uma sorte do caramba. Mas claro, imagino que tenha sido prejudicial 🙁

    Depois a gente fala que dá chupeta que quer, que informação todos tem, mas não são todas as famílias que tem acesso a informação de qualidade como temos hoje. 🙂

    Beijos
    http://www.parabeatriz.com

  4. Elisa

    Olá, resolvi te falar uma coisinha. Nem sempre as coisas são como idealizamos. Sempre algo vai sair diferente. Eu, por ex, não dei chupeta pra minha bebê, mas achei que ficaria com ela em casa até os dois anos, mas não deu. Fiquei super mal. Voltei a trabalhar qdo ela tinha 8 meses. Hoje, ela está com 1 ano e 2 meses e estou começando a não me sentir culpada. Antes, me sentia tão mal de deixar minha pequena que me doía aqui dentro. Mas, não deu, fazer o que? Meu marido, um dia me vendo sofrer horrores, me disse: olha, vc tem que parar de ficar pensando em como deveria ser e viver como é. Isso me ajudou bastante a aceitar a coisa. Às vezes, a gente tem que aprender a aceitar. Vc fez o que podia, foi até seu limite e a chupeta não te faz menos mãe. Claro, vc fica triste, mas tudo se compensa. É a vida, né, nem sempre a coisa sai como planejado…
    Um abraço

    1. dany

      Oi, Elisa. Obrigada pelo carinho.
      Esse papo de menos mãe é bem chato. Não classifico ninguém assim. Eu não funciono com auto-defesa e acho importante a culpa materna (ou qq outra). Caso contrário, a gente sai fazendo besteira e achando que tá tudo bem. Não gosto de isentar-me. Prefiro assumir meus atos e culpar-me sim. A teoria da culpa zero é priorizar o adulto sempre. Então, sim, eu me culpo e tenho certeza de que não estou fazendo o melhor. 🙁

    2. Elisa

      Vc está fazendo o melhor dentro das suas possibilidades, todas estamos. Ser mãe é muito difícil, são muitas escolhas, muita gente dando pitaco, e vc se sentindo na obrigação de cumprir expectativas próprias e alheias. No fundo, só vc sabe o que vc está passando e como certas coisas incomodam. Vc ama seu filho, está se esforçando para dar-lhe o melhor, tudo que está a seu alcance. Nós somos assim, a culpa vem, claro, mas ela não pode virar um martírio, ela precisa ser um ponto inicial para reflexão. Refletindo e ouvindo outras pessoas, a gente se identifica e se sente acolhida, repensa, faz novas escolhas, busca outros caminhos. É assim mesmo!!!
      Um grande abraço e muita força.

  5. Tatiane Garcia

    Dany, não somos heroínas infalíveis. Não vou passar a mão na sua cabeça, nem fazer discurso a favor da chupeta, ou contra, te tacando pedras. Cada uma de nós sabe bem onde o calo aperta. Existe uma coisa chamada limite. Eu tenho, você tem. E sabemos identificar quando o atingimos. Uma coisa que eu tenho aprendido a duras penas por aqui (antes mesmo de Helena nascer) é que devemos aprender a escolher nossas batalhas. Menina, isso daria um post. Tenho vivido todos os dias avaliando se vale a pena entrar na batalha, ou se posso contornar. Porque simplesmente não posso ganhar todas!
    Um abraço virtual pra ti!!! Bjobjo

  6. Não gosto de falar sobre chupetas porque tenho traumas. De colocar na boca da Rafaela e segurar de leve para ela pegar porque eu desmamei e minha filha ainda sentia falta do peito (será que em algum momento da vida esse sentimento de culpa passa?). O fato das pessoas ficarem te incentivando a usar a chupeta é o pior porque é o que amolece e faz com que vc, em um momento de extremo cansaço e desespero, aceite a ideia.

    No início fazia como vc: só dava na hora do pega para capar. Hoje ela já sabe o que é e quando vê põe na boca ou não me deixa tirar. Nos meus planos eu iria tentar tirar a chupeta mais ou menos agora, quando ela completar 1 ano e meio. Com a crise de dermatite estou com medo de tirar a chupeta e dar um pau porque a chupeta a acalma nos momentos de pico da doença. Foda!

    E quase escrevo chorando esse comentário (hahahha, mentira, to fazendo piada para a vontade de chorar passar).

    1. dany

      É um assunto doído pra mim tb, Ju. Eu estava certa de não dar a chupeta! CERTA! Não comprei no enxoval, mas ganhei. Sempre que rola esse assunto, dá aquela dorzinha lá dentro, sabe? Raiva que dá! Raiva porque eu sei que seria muito melhor pra Artur não chupar chupeta. E morro de medo da minha produção de leite cair por conta disso. Tentei escrever pra aliviar o coração. 🙁

Leave a Reply

Favoritos da Dany
%d bloggers like this: