Carregando...
Blog

Médico humanizado e médico cesarista

A cesarista da ultrassonografia

Não sei por que aceitei fazer essa quarta ultra. Eu já tinha resolvido fazer só três: a primeira, que indica idade gestacional aproximada, número de fetos e sua vitalidade; a segunda, que verifica TN e osso nasal (depois quero comentar sobre essa ultra) e a terceira, que é a morfológica. Quando a médica cesarista me indicou essa ultra, perguntei pra que servia e ela ficou meio sem resposta, disse que era pra verificar vitalidade fetal, mas, convenhamos, se ela ausculta o bebê durante a consulta e eu não tenho nenhum sintoma esquisitão, é porque tá tudo bem e não há necessidade de fazer uma ultrassonografia. Mas, enfim, fiquei com medo de não fazer. Fiz. 
Cheguei ao laboratório de má vontade. Meu horário era 16:15 e só fui atendida às 17:20. Deitei naquela maca horrenda que acaba com a minha coluna. A médica entrou, começou o exame e eu não tinha nenhuma expectativa de conseguir ver o bebê. Nessa altura, com um bebê já grande (Artur tá com 45 cm aproximadamente), não dá pra ver muita coisa. Coração batendo direitinho. Tudo certo. Alívio. Então, a pergunta que não queria calar: em que posição ele está? Atravessado. Sim, o danadinho tá atravessado ainda. 
A médica ficou MUITO surpresa com a pergunta. Ela me perguntou por que eu queria saber. Expliquei que quero parto normal (PN). Ela parou o exame e começou a me perguntar muitas coisas. 
– Seu primeiro filho foi cesárea?
– Sim, infelizmente. 
– Tem quanto tempo essa cesárea?
– 10 anos. (Ou seja, nada que impeça um PN.)
– E por que você resolveu ter PN?
– Por que eu li sobre o assunto e concluí que é o melhor pra mim e pro bebê. 
– (ela com cara de ironia) Há controvérsias. 
– Quais? E por que você acha melhor uma cesárea?
– Controle. (resposta imediata, na minha lata)
– Mas o médico não tem que ser protagonista do parto. A mulher, sim. 
– É, mas na cesárea, em 4 minutos eu resolvo o problema (notem: problema! o nascimento, pra ela, é um problema). No máximo, se eu quiser falar sobre o Mengão, eu vou levar 7 minutos.
Sério, gente, nessa hora eu tive vontade de chamar a polícia!
– Mas eu não quero um médico que fique falando sobre time na hora do meu parto.
Ela riu. 
– É, geralmente parto normal dá certo. Mas se acontecer algum problema na hora, é mais difícil de resolver.
– Pode ser. Por isso que eu procurei um médico humanizado que saiba o que está fazendo e que saiba resolver os problemas.
Preciso dizer mais o quê? Saí de lá p. da vida. Não por mim, que sei exatamente o que quero, que me informei e consegui uma equipe humanizada. Saí de lá danada da vida porque fiquei imaginando quantas mulheres caem nesse bla, bla, bla de médico carniceiro e manipulador. É por isso que o número de cesáreas no Brasil chega a quase 90%! Enquanto a OMS recomenda, no máximo, 15%. Sério, é desanimador. Se você ainda tem dúvidas do que é melhor, pense por que o PN é o mais comum em países desenvolvidos. Por que será? 
O médico humanizado
Depois da ultrassonografia catastrófica,  tive consulta com um obstetra (GO) que é a favor do PN. Nunca fui atendida por um GO tão atencioso. Ele explicou cada detalhe, que eu não preciso ter medo, que parto não é (ou não deveria ser) um evento cirúrgico, mas fisiológico. Perguntou como nasceu meu primeiro filho (cesárea mal indicada, não havia necessidade nenhuma), expliquei, ele ouviu e me disse pra confiar no meu corpo dessa vez.

Eu estava aborrecida com o fato de Artur estar atravessado, ele me examinou, mexeu pra lá, mexeu pra cá e disse que a cabeça dele já está pra baixo, que só falta encaixar mesmo e que isso é possível que aconteça até a hora do trabalho de parto. Não fez toque (mulheres, não é preciso fazer toque durante as consultas, hein!), não me assustou, me deixou tranquila. Ele aproveitou pra falar das vantagens de um parto normal e me explicou que, com uma cesárea eletiva (quando a mulher escolhe data e horário), não é possível saber se o bebê está pronto pra nascer e por isso o risco de prematuridade e desconforto respiratório é alto. É preciso deixar o corpo dar sinais de que o bebê tá pronto. Isso é respeitar a vida do pequeno. Explicou que circular de cordão (cordão enrolado no pescoço) não é motivo pra fazer cesárea e desfez muitos dos mitos que levam as pessoas a optar por uma cirurgia.

Como eu tenho lido muito sobre a humanização do parto, eu sabia bem o que estava fazendo ali e o que ele ia me falar. Não foi tanta novidade, mas certamente foi acolhedor. Até pelo meu marido ele perguntou – quis saber sobre como ele está lidando com o fato de eu querer PN. Dificilmente a gente encontra um médico que nos ouve, que nos apoia e que não nos trata como se estivéssemos numa linha de produção. Eu adorei e recomendo. Acho importante a mulher se informar sobre o que está acontecendo e o que vai acontecer com o próprio corpo, com seu filho e com o bem estar de ambos. Acho essencial a gente passar por cima do nosso egoísmo (não querer sentir dor, por exemplo) em prol de um ser que não pode escolher. Ser mãe é se doar, é pensar no outro. Não adianta querer ter filho e não passar por todo o processo. Hoje eu entendo que não querer parir o próprio filho, não fazer esforço pra amamentar e não colocar o umbigo no fogão pra fazer uma papinha saudável ao invés de comprar o famigerado potinho são reflexos do nosso egoísmo e falta de informação.

Quem quiser textos e informação sobre a humanização do parto, eu indico alguns. Não sou especialista, mas ando lendo muito sobre o assunto há algum tempo. 😉
6 comments
  1. Aline da Silva

    Dany vc se incomodaria de passar a indicação do seu GO humanizado? sou do Rio também e estou a procura… ele atende pelo plano ou só particular? podemos conversar mais sobre isso? email line_cunha_silva@ hotmail . com

  2. Flávia Brito

    Gente, fala sério, ainda bem que você deu uma ótima resposta. Que médica idiota! Eu tive um obstetra muito louco durante a minha gravidez, ele não falava nada sobre cesária, mas ele agia como se ele estivesse me fazendo um favor e ainda de má vontade. Pois na hora de ter o bebê nem liguei pra ele, fiz com o médico de plantão e ele foi trilhões de vezes mais atencioso do que o babaca que me atendeu durante os nove meses. Affff. Desculpe os palavrões, mas fico chateada.

    Beijos!!

  3. Tatiane Garcia

    Dany, acho que vc teve uma infelicidade muito grande com essa médica da ultra. Porque, independente da posição dela, a sua opinião merece respeito! Chega a ser ultrajante falar que vai discutir futebol durante uma tarefa tão séria quanto uma cirurgia.
    Enfim, é bom saber que o bebê está bem, né? Na minha primeira gestação eu fiz praticamente um ultra por mês, e adorava. Agora já não tenho a mesma disposição. Impressionante como a gente amadurece de uma gestação pra outra!!!
    um beijo, força na peruca!!!!

  4. Cantinho da Fabi

    Meu Deus !! esse médico é um verdadeiro "achado" se eu morasse aí no RJ certamente pediria indicação … eu quero muito indicações de textos sobre PN vc pode me passar ? Obrigada . Beijos

Leave a Reply

Favoritos da Dany
Por favor, aguarde!

Cadastre o seu email e receba as nossas atualizações!

Digite seu nome e email e receba nossas atualizações assim que eles forem postados. Seja sempre o primeiro a saber das novidades!
%d bloggers like this: